Pesquisar este blog

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Como conciliar política e vida pessoal?

Meus interesses pessoais, eu diria, estão numa prateleira, agora. Guardados para depois.

Porque eu tive que abrir mão de muita coisa, inclusive familiar, para ser governadora.

Então, o que me mantém vontade inclusive, de continuar fazendo o processo de transformação, é quando eu vejo o sorriso e até a emoção de uma jovem que chorou quando nós lançamos o Bolsa Trabalho novamente aqui em Belém, já os novos jovens que vão nessa outra etapa, já, sete mil novos jovens em Belém e que nós conseguimos que a empresa em que essa jovem se capacitou, conseguiu o emprego, nós conseguimos que ela fosse lá dar um depoimento, ela chorou de emoção.

É isso que me faz continuar. É a alegria de ver lá, uma senhora que, como ela diz, ela saiu da lama com uma criança no colo, lá no Tenoné recebendo uma casa, a emoção daquela mulher, entendeu?

De ver que eu inaugurei um hospital e nesse hospital já pôde ser registrada a primeira criança filha, por exemplo, do povo de Tracuateua {Nordeste do Pará}.

É ver gente tirando doença das crianças que estavam ali nas ilhas de Jutuba, de Urubuoca. Essas alegrias, são esses momentos de saber que nós vamos agregar valor ao nosso minério que é um sonho do povo paraense.

A gente passou a nossa vida, eu passei escutando: nós somos a maior província mineral do mundo, o Estado do Pará é um Estado rico em minério, mas, está bom, e cadê os benefícios?

Os benefícios eram muito aquém daquilo que o povo merece, muito aquém inclusive das riquezas.

Eu disse não, espera aí, nós vamos mudar essa história.

Então a alegria de eu ver a Vale entregar o estudo de impacto ambiental pra nós, sabendo que agora eu posso dizer pra Vale: olha, o cadastro que vocês estão fazendo pras pessoas que vão trabalhar na siderúrgica {de Marabá}, exijam que as pessoas comprovem que elas morem há pelo menos dois anos no Pará, ou seja, eu estou fazendo, pode até dizer que é reserva de mercado, não importa, mas eu estou defendendo os empregos pros filhos e pras filhas do nosso povo, aquilo que eu costumo dizer: olha, ser mãe é dar a luz, mas mais do que dar a luz, o que cabe a mim, é fazer com que tenha luz no caminho das mães, que elas possam ajudar, que elas possam ver a luz no caminho dos seus filhos. É ajudar não apenas, mas ajudar as filhas e os filhos do nosso povo.

Então, isso pra mim é o que me move a continuar nessa batalha, porque se eu fosse olhar só pro lado pessoal, eu confesso que eu já tinha desistido.

6 comentários:

direitosparatodos disse...

parabéns, ana julia,
e espero que este ano de 2010 seja muito realizador para manutenção de nosso projeto popular para estado do Pará.
abs,
Ricardo Melo

Blog Ana Júlia disse...

Ricardo,

obrigada e volte sempre.
Vamos continuar trabalhando pela mudança em nosso Estado e em nossas vidas.
Feliz 2010!

Flávio Costa disse...

Ana Júlia,
O estado do Pará precisa continuar no seu comando. Vou repetir, NO SEU COMANDO !!!
Esta mais do que provado, que o modelo adotado pelo Lula, que a favor da governabilidade, costurou um forte projeto de alianças que levaram o país pra frente. Aqui no Pará não dá pra ser assim. Quem se diz aliado, passou os últimos três anos lhe atacando através dos veículos de imprensa de sua propriedade. Lembre, que quem se diz o "Orgulho do Pará" é na verdade, a vergonha deste estado.

Blog Ana Júlia disse...

Flávio,

obrigada pela visita e volte sempre. Desde já, um feliz 2010 pra nós, pro nosso Pará. E isso exige uma política de alianças grande e uma imensa aliança com o nosso povo.
Abraços

Miguel disse...

Parabens, companheira Ana Julia, pelo Blog.
Vamos a luta, ainda á muito o que mudar no Estado do Pará, e com certeza o Governo Popular, vai continuar transformando as vidas das pessoas.
Um abraço.
Miguel Cunha Filho

Blog Ana Júlia disse...

Miguel,

continuemos trabalhando firme pela mudança no nosso Estado e na vida do povo do Pará. Obrigada pela recepção ao blog e volte sempre.
Feliz 2010, com muitas vitórias. Conto com você.
Abraços