Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Em defesa da humanidade tolerante

Hoje a agenda de campanha é gravação para o nosso programa eleitoral e entrevista na TV Liberal, no Jornal Liberal 1ª edição, às 11h40. Gravarei para os programas Rota Cidadã e Na Grande Área, este do SBT. E tem agenda de governo. Um dia cheio, acelerado,graças a Deus!

Ontem, conversei com empresários na Associação Comercial do Pará, dei entrevista no Sem Censura Pará, firmei compromisso com a juventude e funcionalismo do Banpará.

E enquanto Belém se prepara para chegada de Lula e Dilma, nesta quinta 16, continua fervendo a caixinha de comentários sobre temas de interesse do Pará, como o preconceito. Veja o que Cássio Andrade diz no artigo Mulheres solidárias:

Mais do que preconceito, a agressividade de gênero praticada por Jatene é estratégica do ponto de vista eleitoral.

Em várias inserções, há uma nítida preocupação em mostrar duas caracteristicas da governadora, sob a ótica dos tucanos: o despreparo e a preguiça.

Essas duas representações demonstram a forma com a qual a campanha tucana, particularmente Jatene, vislumbra a qustão de gênero, em torno de um eleitorado masculino da RMB e de forte influência sobre sobre o eleitorado feminino.

Tal lógica busca reforçar a idéia do "homem preparado e maduro" contra a "mulher irresponsável e jovem".

O componente da diarista expressa por sua vez o viés de classe das camadas médias da cidade que poderiam votar no candidato tucano. Estratégia para ganhar no 1º turno, pois teme um segundo turno onde teria que enfrentar a força de suas fortes expressões femininas: da governadora e da presidenta eleita.

Por isso, mais do que nunca esse recado precisa ser reforçado a nosso eleitorado feminino que, pelo que se vê, está sendo tratado pelos tucanos sob o rótulo da idiotização secular do domínio do macho, algo tão em desuso mas que os "modernos marketeiros tucanos" parecem ter se realimentado nos fantasmagóricos escombros de seus preconceitos de raça, gênero e classe. Portanto, o desafio não é mais só derrotar Jatene e sua trupe do século XIX fantasiada de moderna, mas o de lutar em defesa da humanidade redimida e reconciliada na tolerância.

Homens e mulheres de nosso estado, eleger Ana Júlia agora não é mais um ritual eleitoral, mas um compromisso de defesa da humanidade tolerante.

Cássio de Andrade

Um comentário:

Salette disse...

Oi Ana!!!
O teu programa eleitoral de ontem, segunda-feira, foi excelente.
Adorei teu pronunciamento contra as mentiras que o candidato da oposição vem fazendo.
Parabéns pela campanha de alto nível.
Beijo, Deus te abençoe sempre.