Pesquisar este blog

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Almir Gabriel é 13. Hoje tem debate no SBT, às 23 horas

Hoje à noite, às 23 horas, tem debate no SBT. E hoje, perto do meio dia o ex-governador Almir Gabriel anunciou publicamente seu apoio à minha reeleição, com uma única condicionante: de que continuemos a trabalhar pelo desenvolvimento do povo do Pará.

Na entrevista coletiva à imprensa, Almir Gabriel destacou que fez a opção pela minha candidatura ao governo do Pará, porque gosto de trabalhar, ao contrário do meu adversário, que é "preguiçoso". E também porque temos um ponto de convergência: o amor pelo desenolvimento do Pará e do povo do Pará.

Agradeço, feliz, mais este valoroso apoio que vem reforçar o segundo turno destas eleições.

7 municípios - O debate deve varar a madrugada e logo cedo tem campanha, pois vou fazer carreata e comícios em 4 municípios: Bujaru, Acará, Tomé-Açu e Concórdia do Pará.

E no domingo à tarde, carreata em Santa Izabel, Benevides e Marituba. À noite, já em Belém, encontro na Igreja Evangélica do Guamá. (Fotos da equipe do blog).

8 comentários:

Robertinho Nagibão disse...

Valeu Almir velho guerreiro, mesmo sem precisar, está aí lutado pela democracia e pelo o bem do Pará, com toda sua coerencia está apoiando Ana Julia .
Valeu Almir agora é 13

Ricardo Silva disse...

Sucesso total no debate do SBT, Parabéns !

Ana deu tanta pressão que o "já teve" tremia mais que um fusca velho.

Para mim, o melhor momento foi quando a Ana disse que o "ja teve" deixou de ir falar com o Lula para pescar em uma área de preservação ambiental, ou seja deixou de trabalhar pelo povo para ir brincar de pescar.
O resultado disso é que ele meteu foi o anzol no olho, bem feito ! Quem manda não trabalhar pelo povo !
Ricardo Silva

Ricardo Monteiro disse...

Antes eu votava em Almir, hoje vermelho, VOTO 13

Cris Chaar disse...

Com certeza a força do povo,leará vc Ana Júlia a reeleição.Não tenho dúvidas nenhuma.Conte comigo.

Anônimo disse...

PROFº FÁBIO PINTO - APSOME-PARÁ.

Sou professor do Sistema Modular há 16 anos e, sobre o último debate, mais precisamente o ponto que o candidato Simão Jatene falou do Ensino Modular, como não pude, em tempo real, rebatê-lo, quero fazer os seguintes esclarecimentos:

1. A implantação do Ensino regular em todas as sedes dos muncípios.

Na verdade, por trás desse ato, estava a perseguição e retaliação aos professores do módulo que, naquela ocasião, se posicionaram pela candidatura da então candidata desconhecida do cenário político estadual (Maria do Carmo - PT), mas que quase levou do Jatene a poltrona do Palácio dos Despachos, lebram disso?. Até aquele momento, o Ensino Modular funcionava bem estruturado nas sedes dos muncípios. O resultado foi a implantação, na marra, mesmo com a falta professore de diversas disciplina (inglês, física, química, biologia, etc), do ensino Regular. Consequentemente, o que se viu nos quatro anos do governo de simão Jatene foi alunos "terminando o ensino Médio" sem ter cursado muitas disciplinas, tendo que meses ou até anos depois retornar a sala de aula para concluí-lo. Aqueles muncípios que pediam o retorno do ensino Modular não foram ouvidos pela SEDUc;

2. O Ensino Modular no interior do interior do Estado.

Na verdade, o que deveria ser verdadeiramente o papel do Estado no atendimento de um direito público e subjetivo das comunidades ao acesso e permanência a educação escolar, este procedimento, por parte do governo de Simão Jatene, configurou-se como a segunda parte da perseguição, desmobilização e punição imposta aos professores do SOME, que se deu com o deslocamento do Ensino Modular para as vilas, assentamentos, riberinhos, quilos,e tc. Dos 600 professores que o SOME tinha, a maioria sendo efetivos foram forçados a saírem para o regula. O restante que ficou, poucos mais de 200, éramos temporários (sem direito algum), ouvimos: Modular, ame-o ou deixe-o !). Tanto é que nessas comunidades, diferente das sedes dos municípios, professores e alunos foram deixados a sorte: sem sala de aula, pessoal técnico e de apoio, sem material, sem casa para os professores, sem transporte e merenda escolar para os alunos, sem a gratificação para custeio das despesas (deslocamento e alimentação alimentação) dos professores, enfim, o total descaso, quadro esse que sempre me refiro como o esquartejamento do Ensino Modular. Com isso, o plano estava cumprido e os inimigos isolados. A quem, professores (frágeis temporários) e alunos (gente humilde do inteior), nas mais distantes localiodades desse Estado iriam se fazer ouvir ?

3. Com essas extermínio, economicamente, o Governo de Simão Jatene, através de sua secretária Rosa Cunha, deixou de "gastar" cerca de 1 milhão de reais por mês (recurso já orçado) na educação/SOME do interior do Estado, totalizando 12 milhões anos ou 48 milhões durante todo seu governo que não sabemos para onde foram esses recursos. Para o interior é que não foram, pois conhecemos de perto essa realidade.

Foi somente no Governo de Ana Júlia que esse quadro começou a mudar. E é por isso que, apoiamos sua reeleição. Ainda não está como era antes, tamanho foi o desmonte que sofremos, mas acreditamos que com mais quatro anos de Educação Popular iremos melhorar as condições de ensino e aprendizagem de nossas comunidade do interior.

nelson/irituia disse...

minha querida bancaria.
vamos continuar na luta, esse pesoal que ta mostrando esta pesquisa, a gente ja conhece desde o tempo de oposição no sindicato dos bancarios..
nelson mourao/ banespa e irituia.. ate a vitoria..beijos e saudades

Yury disse...

Não devemos nos esmorecer pelo resultado de pesquisas simuladas e mentirosas, que querem apenas induzir os eleitores, uma pesquisa feita com 812 pessoas não expressa a vontade de mais de um milhao de paraenses.... Vamos a luta, a caminhada continua, vamos mandar o "ja teve" para casa, preguiçoso!
Acessem: www.aceleraeducacaoprofissional.blogspot.com

Abraços

Prof Yury Bertolo

Roberta disse...

Fique tranquila, a reeleição é certa