Pesquisar este blog

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Ulianópolis vive clima de impunidade

Deu no Diário do Pará

“Não queremos a piedade de ninguém, queremos Justiça!”. A frase final da petição de um grupo de moradores de Ulianópolis, município do nordeste do Estado, resume a intenção da manifestação que aconteceu na manhã de ontem, em Belém. Com cartazes, faixas, caixões e camisas pretas simbolizando o luto por crimes que permanecem impunes, os manifestantes viajaram 400 quilômetros para denunciar a situação crítica do município.

Segundo a população, a cidade vive há anos sob a lei do pecuarista Davi Resende, atualmente prefeito eleito de Ulianópolis pelo PTB (Partido Trabalhista Brasileiro). “O atual prefeito comanda a cidade há 16 anos. Nós vivemos em regime de coronelismo, lá vale a lei e o poder do dinheiro. Nós escolhemos esse dia pra lembrar a morte do Silvério Duprá, que hoje completa oito anos e permanece impune. Nós queremos agilidade no julgamento dos processos que pesam contra a família Resende e que se faça Justiça”, afirma Lúcia Tonette, 52, dona de casa.

O protesto partiu em marcha da sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), onde um grupo foi recebido pela comissão dos Direitos Humanos, que se comprometeu a levar a questão ao Tribunal de Justiça do Estado. Depois, a manifestação seguiu até o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e por fim ao prédio central da Assembleia Legislativa. A comitiva de Ulianópolis foi formada por membros da sociedade civil organizada, igrejas e empresários revoltados com a situação política do município.

A morte do marceneiro Silvério Duprá, em novembro de 2004, aconteceu de forma brutal em praça pública, em frente à casa da família Resende. Segundo denúncia do MPE, o crime teve claros indícios de motivação política. As investigações da Polícia Civil apontaram como mandantes o pecuarista Davi Resende Soares, sua irmã, a vereadora reeleita Marta Resende Soares, o filho de Davi, Lindomar Resende Soares e o empresário José Ernesto Machado.

O delegado responsável pelo caso, André Albuquerque, foi assassinado em 2010 em circunstâncias até agora desconhecidas. Lindomar e José Resende chegaram a ficar detidos, mas foram soltos através de uma liminar. Davi e Marta fugiram de Ulianópolis e passaram um ano foragidos da Justiça, após a decretação de suas prisões, sendo beneficiados por liminar do Superior Tribunal de Justiça. Apenas o pistoleiro do crime, Francisco Leite, o “Chicão”, permanece detido.

“Onde é que fica a lei do Ficha Limpa? Como é que pode um candidato se eleger com um diploma falso? É um absurdo um político se eleger desse jeito por conta de uma eleição fraudada e cheia de irregularidades. Eu moro lá há 25 anos e essa impunidade permanece mesmo após tantos mandos e desmandos dessa família. Até eu já fui ameaçado de morte. Os moradores têm medo de falar”, denuncia Cláudio Espíndola, 48, segurança. Dentre as seis ações de abusos eleitorais na 84ª Zona Eleitoral contra Resende, está o pedido de indeferimento de seu registro, feito à Justiça pelo Ministério Público Eleitoral, por conta do candidato ter fraudado um processo usando um diploma falso de Técnico em Contabilidade.

Davi Resende, segundo os moradores, conseguiu adiantar sua diplomação como prefeito para a próxima sexta-feira (30). Existem 26 denúncias contra o candidato eleito e sua família no MPE esperando para serem julgadas. Os moradores temem que, com foro privilegiado, Resende consiga adiar indeterminadamente seus julgamentos. A principal reinvindicação dos manifestantes é que a sentença do juiz da Comarca de Ulianópolis, Thiago Tapajós, seja cumprida e que Davi, Marta, Lindomar Resende, além de José Machado, sigam para Júri Popular. O DIÁRIO tentou entrar em contato com Davi Resende através da prefeitura, mas o mesmo não foi localizado.

17 comentários:

BLOG DE EVANDRO CORREA O LIBERAL disse...

Cara Ana Júlia,

O Município de Ulianópolis vive total insegurança, não só na área de segurança pública, mas, principalmente jurídica. Toda sorte de ilegalidade é praticada pelo Grupo Político gerenciado pelo pecuarista Davi Resende Soares. Gostaria de solicitar que vc publicasse em seu blog nosso manifesto transcrito abaixo, e que se sensibilizasse com a situação local, até mesmo porque o fazendeiro, acusado de ser o responsável por diversos homicídios, tem propagado que é apoiado pelo Partido dos Trabalhadores, o que é um absurso pois de acordo com investigações da polícia civil há suspeitas do envolvimento do mesmo na morte do ex-deputado João Batista.

Abaixo o Manifesto:

BLOG DE EVANDRO CORREA O LIBERAL disse...

MANISFESTO PÙBLICO AS AUTORIDADES DO PARÁ

ULIANÓPOLIS PEDE SOCORRO !!!

Nós , moradores e moradoras de Ulianópolis, escolhemos a data de hoje, 27 de novembro de 2012, para estender nosso grito de socorro a todas as autoridades paraenses e a quem mais nos possa ouvir. A 8 anos atrás, exatamente nesta data, o marceneiro Silvério Lourencine Deprá, uma pessoa muito conhecida em nossa cidade, foi abatida covardemente com vários tiros, na praça central de Ulianópolis. Depois do brutal assassinato, um grupo de promotores, juntamente com uma equipe de policiais civis comandados pelo delegado André Albuquerque, passou a investigar um verdadeiro grupo de extermínio que se instalou em nossa cidade, sob o comando e a batuta da família Resende, tendo como principal membro o temido fazendeiro DAVI RESENDE SOARES, que juntamente com sua irmã, a vereadora MARTA RESENDE, e seu filho, LINDOMAR RESENDE, implantaram o terror na cidade, a cerca de 12 anos, sempre protegidos pelo manto da IMPUNIDADE.

BLOG DE EVANDRO CORREA O LIBERAL disse...

Hoje, além de lembrar a morte de Silvério Lourencinne, também trouxemos caixões simbólicos para lembrar outras 19 vítimas desta sanguinária família, que foram barbaramente assassinados a tiros e cujos crimes jamais foram investigados pelas autoridades. São eles :
João Batista Fonseca, o “Ventania”; Zé Elias; Francisco de Assis da C. Neves, o “Sabão”; Juracir Almeida, o “Nego Vil”; Carlitônio Carlos B. Henrique, o “Carlão”; “Luís Açougueiro”; “Padeirinho”; Manoel Burcilí, o “Pinóquio”; Valdênio; Barto Galeno dos Santos; Hélio Soares; “Manoel Carroceiro”; “Neguinho do Brega”; José Wilson, o “Neguinho”. Não podemos deixar de destacar aqui, o assassinato do deputado estadual João Batista, morto com vários tiros, na frente de sua família, no centro de Belém. Depois que as investigações da polícia imputaram vários homicídios a família Resende, o delegado que comandou as investigações, ANDRÉ ALBUQUERQUE, foi assassinado um ano depois , em Parauapebas, em circunstâncias até hoje não esclarecidas.

No tocante a morte de Silvério Lourencine, o fazendeiro DAVI RESENDE,seu filho, LINDOMAR RESENDE e a sua irmã MARTA RESENDE, foram pronunciados como MANDANTES DO CRIME. Acostumado a comprar a tudo e a todos, o fazendeiro, juntamente com os demais algozes de SILVÉRIO, continuam zombando da justiça paraense e das famílias de suas vítimas, estando há 8 anos gozando de completa impunidade, pois se julgam acima do bem e do mal, tendo bastante dinheiro para pagar bons advogados.

Não contente com o rosário de crimes praticados, o fazendeiro DAVI RESENDE, se “elegeu” prefeito de Ulianópolis nas últimas eleições, em um pleito com claros indícios de fraude. Mesmo Utilizando-se de um DIPLOMA FALSO, e sendo acusado de abusos eleitorais em pelo menos 6 AÇÕES, o juízo da 84 Zona Eleitoral fechou os olhos para as fraudes praticadas pelo fazendeiro. Até a presente data, não se tem notícia de uma sentença proferida pelo juiz eleitoral que tenha contrariado os interesses do pecuarista, diga-se de passagem, um dos mais ricos do Pará. Diante de tantas evidências, pedimos as autoridades paraenses a nomeação de um novo juiz eleitoral para apreciar os processos que envolvem a família Resende, uma vez que a população já não tem mais a quem recorrer. Pedimos também, em caráter de urgência, que sejam investigados os vinte homicídios que são imputados a família Resende, que ao que tudo indica, pretende se perpetuar no poder em nosso município, desrespeitando as leis e os direitos humanos. Para se ter uma idéia, a mulher do fazendeiro, a ex-prefeita Suely Resende, mesmo condenada pelo Tribunal de Contas do Estado, concorreu e se elegeu vereadora. A irmã do pecuarista, Marta Resende Soares, que responde a dois processos por homicídio, também concorreu e se reelegeu vereadora. Diante de tantos disparates perguntamos as autoridades paraenses : Um homem que usa documento falso, tem prédios alugados pela prefeitura e responde a processos por homicídio pode ser candidato e ser prefeito de uma cidade ? Será que as vereadoras Suely e Marta, que são mulher e irmã do fazendeiro, irão fiscalizar as ações do prefeito ? Portanto, através deste documento, vimos humildemente pedir as autoridades que olhem para a população de Ulianópolis, que vive oprimida a vários anos por uma família que não mede esforços para ganhar mais dinheiro e poder. Com esse manifesto, gostaríamos de afirmar com todas as letras que ainda acreditamos em nossas leis e que um dia todos serão PUNIDOS. NÃO QUEREMOS A PIEDADE DE NINGUÉM. QUEREMOS JUSTIÇA !!!!!

Anônimo disse...

sei que a senhora tem muita influecia politica.faça alguma coisa pelo esse povo oprimido
assina uma eleitora e moradora
de ulianopolis

Anônimo disse...

SENHORA ANA JULIA eu sempre votei em ti porque acredito na força da mulher, venho ti fazer um pedido em nome de todas as mães de ULIANOPOLIS,usa o conhecimento e a força que voce tem e nos ajude pelo AMOR DE DEUS, pois ja recorremos a todos os orgãos e parece que todo mundo tem medo deste homen, mas eu sei que voce é uma pessoa destemida e corajosa e acima de tudo é humana; estou confiando em ti,desde já muito obrigada e fica com DEUS.

Anônimo disse...

a jude ulianopolis dona ana julia pois so o pt para salva nossa cidade aqui acontece de tudo mas ñ a justiça aqui ajustiça tem seu preço e a população esta pagando por isto leve isto para as autoridade competente

Anônimo disse...

EU ACHO QUE O SILVERIO QUE ESTÃO FALANDO É OUTRO,POIS O QUE EU CONHEÇO ERA UM PISTOLEIRO DE 1,AINDA BEM QUE ELE FOI PRIMEIRO POR QUE ELE JÁ FEZ MUITAS MÃES CHORAREM AQUI NESTE LUGAR.

Anônimo disse...

EU ACHO QUE O SILVERIO QUE ESTÃO FALANDO É OUTRO,POIS O QUE EU CONHEÇO ERA UM PISTOLEIRO DE 1,AINDA BEM QUE ELE FOI PRIMEIRO POR QUE ELE JÁ FEZ MUITAS MÃES CHORAREM AQUI NESTE LUGAR.

Anônimo disse...

acho que esse silverio não é o mesmo,pois o daqui de ulianopolis ele era um bate pau,era muito dificil um jovem sair pra se divertir e voltar pra casa vivo,mas ainda resta alguns para contar quem era realmente o SILVERIO o homem que deixou muitas mães chorando a falta de seus filho,SILVERIO TODOS QUE FORAM NESTE MANIFESTO SABE MUITO BEM QUEM ELE ERA.UM PISTOLEIRO

Anônimo disse...

pois eu nunca ouvi falar isso de
silvero.sei que era um pai de familha.ainda que ele fosse bandido
não merecia de ser exercutado em praça puplica.ninguem tem o direito
de tirar vida de ninguem.querem
comfudi ana julia.

Anônimo disse...

por então o davi rezende pode mandar matar e ficar impune como esta mas uma anonima dos rende ou melhor esta e a assesora da familia rezende q ja esta falando tudo e entregando seu patrão dizendo q o silverio tinha q morrer mesmo ne assesora eu descordo nem seu patrão davi mereci morrer. apenas tem q pagar pelas mortes ñ so do silverio mas também do deputado joão batistamas como e um bilionario comsegue ate se eleger prefeito de uma cidade pois voto se compra mas ele sabe q população ñ esta com ele apenas vive oprimida e com medo e muitos se obriga a apoialo ele vive dando terreno e recebendo da prefeitura e dano cesta basica pra dilubriar o povo e vivermos todos na sua mão ficar preso a ele iSto e forma de trabalho de DITADOR e o q ele e. e deixo aqui minha revolta ñ sei se tem justiça no pará pois se tivesse ele ja estaria preso nem no Brasil tem quanto mas no pará e viva o dinheiro e isto e q vale compra tudo dona ana julia deve saber quem e ele e tambem deve o temer e um direito de todos pois todos tem familia e tem medo mas se por acaso puder ajudar ulianoplis agente lhe agradece de alguma forma leve este comentario a um ministro um juiz de verdade pois ums daqui ja se venderam todos um promotor governador senadorpresidente dilma e lulapois vç pode ate penssar q ñ e assim como estou narrando mas as provas estão todas protocoladas e arquivadas pela justiça regional. etc as autoridades cabves

Anônimo disse...

um homen deste q comprou um diploma na escola de paragominas atraves de funcionarios da escola q se venderam e ele foi e apresentou diante de um juiz e ñ tem nadae o q e falsidade ideologica e então pra q estudar. esta comprovado q o diploma foi comprado pois a seretaria de educação e o prefeito adnam demarqui deu uma nota dizendo q o diploma e verdadeiro porem alquen fraudou o diploma da escola para ele e um juiz dis q ñ e falso então o certo virou o errado e o errado virou certo por isto e q ele davi manda mata que ñ apoia ele. e não acontece nada pois ja sabe q o dinheiro dele e q faz a justiça assim como ele ja falou

Anônimo disse...

isto e uma vergonha so no pará q ñ tem lei pode tudo matar comprar diploma falso para ser prefeito e viver oprimindo o povo q ñ vota nele DITADOR DITADOR DITADOR NOS AJUDE MINHA FUTURA GOVERNADORA ANA JULIA

Anônimo disse...

ENTÃOE EU PENSEI Q ERA MENTIRA POR Q AONDE ESTÃO DENUCIANDO O DAVI TEM AQUELA ASSESORA Q TRABALHA LA NO SEU ESCRITORIO Q TEMTA DESFAZER AS DENUCIA MAS Ñ VAI DA COMTA ELE TEM Q COMTRATAR MUITO MAS ASSESORA ESTE HOMEN E MESMO UM MANIPULADOR PAGAR ATE UMA ASSESORA SO PARA FICAR FUÇANDO AONDE ELE ESTA SENDO DENUCIADO MAS VAI BATER MUITO A CABEÇA POIS O POVO COMEÇOU PERDER O MEDO. NEM Q SEJA NO ANONIMATO MAS VAMOS DENUCIA.

Bonanza disse...

Bom, eu estava até pensando em pedir minha transferência pra trabalhar como professor do Estado aí nesse município. No entanto, pelo que li aqui a coisa tá feia por aí, tá pior do que o enredo do filme americano "Sete Homens e um Destino", estrelado por feras do cinema como Steve Macqueen e Charles Bronson. Como sou Bacharel e Licenciado Pleno em Geografia, e costumo mandar chumbo grosso pra cima de corruptos e desmatadores de florestas só vou pra aí se me derem uma FMB (Fuzil Metralhadora Browning) que aprendi a fazer manutenção quando servir na Marinha, aí talvez eu solicite minha transferência.Espero que nossas "otoridades" façam alguma coisa por vocês de Ulianópolis.

Anônimo disse...

Enquanto isso, o grande vilão é o servidor do Banpará?????:

Caso Megale está nas mãos de subprocurador

Segunda-Feira, 03/12/2012, 11:20:01 - Atualizado em 03/12/2012, 11:49:25
Tamanho da fonte: A- A+
Caso Megale está nas mãos de subprocurador (Foto: Reprodução Internet)

O deputado Megale disse não ter conhecimento de qualquer investigação contra ele no Ministério Público. (Foto: Reprodução Internet)

Está nas mãos do subprocurador geral de Justiça Marcos Antônio Ferreira das Neves o pedido de investigação contra o deputado estadual José Megale, feito pelo promotor Arnaldo Azevedo. Os indícios apurados na primeira instância do Ministério Público Estadual foram enviados à Procuradoria Geral de Justiça em maio deste ano. O procurador geral de Justiça, Antônio Barletta, se julgou impedido e repassou o caso para o subprocurador Jorge Rocha, que também se declinou do comando da investigação e por isso os documentos foram enviados para Marcos Antônio Ferreira das Neves.

Em entrevista ao Diário na manhã desta segunda-feira, o subprocurador informou que está de licença prêmio e só deve retomar às atividades no MPE no dia 10 de dezembro. “Aí vou dar prioridade ao caso já que vocês estão tão interessados”, disse referindo-se ao espaço que o assunto ganhou na imprensa nos últimos dias. Marcos Antônio admitiu que ainda não leu os documentos enviados pelo promotor. Explicou que teve problemas de saúde e logo em seguida entrou de licença. Por isso não teria havido tempo hábil.

Na semana passada, o MPE se recusou a dar informações sobre o andamento da investigação e até mesmo a divulgar o nome do encarregado pelo processo.

Entenda o caso

Ao apurar as fraudes na AL, o promotor Arnaldo Azevedo, responsável pelo caso na esfera criminal, se deparou com 25 cheques assinados pelo então vice- presidente da AL, José Megale, para pagamentos feitos a empresas ligadas à ex-servidora da AL Daura Hage, acusada de ter montado um esquema que reunia empresas fantasmas que se beneficiam de fraudes a licitações na AL.

As assinaturas de Megale foram registradas entre 2004 e 2005. Entre as irregularidades detectadas está o fato de que cheques - que somam cerca de R$ 200 mil - foram pagos contendo apenas a assinatura do vice-presidente. Por lei, os cheques devem ser assinados por dois integrantes da Mesa Diretora da casa.

Megale assinou também nota de empenho no valor de R$ 148,6 mil destinados à construção de churrasqueira, calçadas e reforço estrutural da sede campestre da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa (Asalp). O repasse do dinheiro, segundo Arnaldo Azevedo, foi ilegal porque não poderia ter havido uso de recurso público para obra na Associação que é uma instituição privada e deveria ser mantida com a contribuição dos sócios. Megale deveria ser investigado também por ter contratado serviços gráficos da empresa Mac Martins que pertencia a Marco Martins que era servidor do gabinete do deputado e como tal não poderia ter participado da licitação. Por ter foro privilegiado, o deputado não poderia ser investigado pelo promotor e por isso os documentos foram enviados à Procuradoria Geral.

Questionado pelo Diário, o deputado Megale disse, na última sexta-feira, não ter conhecimento de qualquer investigação contra ele no Ministério Público. Sobre os cheques pagos a Daura Hage afirma que não tinha como saber das irregularidades. “Assinei centenas, talvez milhares de cheques na AL e todos vinham acompanhados de processo administrativo feito pela casa e eu não tinha como saber se estava correto ou não. O que cabe investigar é o porquê de o servidor do banco ter liberado o dinheiro com apenas uma assinatura”. O deputado confirmou que contratou serviços da empresa do então servidor que faleceu, mas disse que não sabia da ilegalidade. Sobre o empenho para obra na Associação de Servidores da AL, Megale afirma que a obra tem registro no Conselho Regional de Engenharia e que o uso de dinheiro público para obras em associações de servidores é comum.

(Rita Soares/Diário do Pará)

Anônimo disse...

EM PLENO SECULO 21 ULIANOPOLIS VIVE NA LEI DA IMPUNIDADE CORONELALISMO ALGUEM ACABE COM ISSO Q APAREÇAN JOAQUINS BARBOSA EM ULIANOPOLIS E MOSTRE Q NEM TODO HOMEN TEM SEU VALOR POR Q AQUI NO PARÁ E ULIANOPOLIS MUITOS TEM